Pular para o conteúdo
Voltar

Obras vão triplicar capacidade de abastecimento de água em Chapada dos Guimarães

Ivana Maranhão e Thiago Andrade | Secid e Gcom-MT

José Medeiros Gcom-MT
A | A

Com capacidade de tratar até 50 litros de água por segundo, a atual estação de captação de Chapada dos Guimarães (67 Km ao Centro-Sul de Cuiabá) é insuficiente para atender a demanda do município, especialmente nos períodos de maior circulação de turistas. Com o objetivo de resolver o problema, as obras “Águas de Chapada” e da nova estação de captação na comunidade Cachoeira Rica visam aumentar a capacidade para 100 litros por segundo.

O governador Pedro Taques e o secretário de Estado das Cidades, Wilson Santos, vistoriaram os trabalhos, nesta sexta-feira (20.01). As obras são tocadas pelo município e contam com recursos do Governo de Mato Grosso e do Governo Federal.

Acompanhado da prefeita de Chapada dos Guimarães, Thelma de Oliveira, o governador afirmou que as duas obras resolverão o problema da cidade no tocante ao abastecimento de água. “Chegaremos a 100 litros por segundo. Com isso, Chapada ficará no lugar que ela merece, um polo atrativo de turismo”, disse.

Thelma ressaltou que a água sempre foi um problema, e o caso fica ainda mais grave nos períodos de festas, como Carnaval e Festival de Inverno, período em que a cidade recebe o dobro ou mesmo o triplo da população. A atual prefeita foi quem apresentou a emenda ao Orçamento Geral da União (OGU), no período em que era deputada federal. 

“Esse problema com a água nos fez apresentar a emenda para a realização desta obra. Agora, com o governador colocando a contrapartida, nós vamos finalizar essa obra. É uma parceria com o Governo do Estado, é a maior obra que Chapada já recebeu”, avaliou Thelma de Oliveira.

O complexo, que inclui a captação e distribuição da água, é fruto de um convênio orçado em R$ 15 milhões, divididos em R$ 5 milhões do Governo do Estado, via Secretaria de Estado das Cidades, e R$ 10 milhões provenientes da Fundação Nacional de Saúde (Funasa). “Essa é a maior obra da história de Chapada e vai resolver, de uma vez, o problema da falta de água no município. Por determinação do governador Pedro Taques, vamos destrava-la”, ressaltou o secretário Wilson Santos.

O superintendente da Funasa, Francisco Holanildo, ao se encontrar com o secretário na futura estação de captação de Chapada, garantiu a conclusão do projeto e afirmou que os recursos estão assegurados ao município. “Em 31 de dezembro de 2016 nós liberamos R$ 2 milhões para retomar e finalizar a obra. Temos ainda R$ 3 milhões a serem liberados. A Funasa só faz o repasse mediante a execução do serviço, quando for concluída a parte referente aos R$ 2 milhões, vamos destinar o restante”, explicou.

A obra

A estrutura, que levará o nome de Águas da Chapada, prevê a construção de um sistema de abastecimento de água com serviços de captação, adução, reservatório, tratamento e distribuição do produto no município.

Após a finalização do complexo, a capacidade de fornecimento de água de Chapada dos Guimarães vai triplicar. Atualmente, a Estação de Tratamento municipal processa 50 litros de água por segundo, ou seja, 180 mil litros a cada hora. Após a ampliação, a captação subirá para 100 litros de água por segundo, alcançando 360 mil litros por hora.

O projeto, idealizado em 2013, com empenho da Funasa e contrapartida do Estado, só ganhou agilidade durante a gestão de Pedro Taques.

A cidade

O município de Chapada do Guimarães, um dos principais pontos turísticos de Mato Grosso, possui hoje cerca de 17,7 mil habitantes. A cidade possui mais de 1,5 mil casas de veraneio, fazendo com que nos finais de semana e feriados o consumo de água dobre.