Pular para o conteúdo
Voltar

Novo sistema de abastecimento de água é inaugurado em Chapada dos Guimarães

Obra triplica capacidade processamento da Estação de Tratamento, que passará de 30 litros de água por segundo, na seca, para até 100 litros por segundo
Ivana Maranhão e Ana Sampaio | Secid-MT

A | A

Os mais de 18 mil habitantes de Chapada dos Guimarães (a 65 km de Cuiabá) não precisarão mais conviver com o problema da falta de água que há 20 anos gera transtorno na cidade, principalmente em períodos de maior movimentação de turistas. A obra de ampliação do Sistema de Abastecimento de Água do município, que receberá o nome do ex-governador de Mato Grosso Dante Martins de Oliveira, está concluída e triplica o volume de água disponível nas torneiras de residências e comércios locais durante o período de seca.

O complexo foi inaugurado na manhã deste sábado (20.01) pelo governador de Mato Grosso, Pedro Taques, o secretário de Estado das Cidades, Wilson Santos, a prefeita do município, Thelma de Oliveira e o superintendente regional da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), Francisco Holanildo. "Estamos aqui em Chapada para dizer que nós amamos esse município. O meu sonho é morar aqui em Chapada dos Guimarães. O nosso governo tem um compromisso e uma atenção especial para este importante município. Quero dizer que esta obra da água não é uma obra de um homem só, muitos colaboraram para que ela se tornasse realidade hoje", disse o governador, agradecendo a  Funasa, os secretários envolvidos nos trabalhos, Wilson Santos, Luiz Carlos Nigro, adjunto de Turismo do Estado, a prefeita da cidade e parlamentares que contribuíram para construção.

Os investimentos para universalização da água em Chapada chegam à cifra de R$ 17 milhões, provenientes de emenda parlamentar da atual prefeita do município, Thelma de Oliveira, recursos do Governo do Estado, via Secretaria de Estado das Cidades (Secid-MT) e Funasa. A construção ficou a cargo da construtora Nhambiquaras.

Com a expansão, a capacidade de fornecimento de água no município vai saltar de 30 litros por segundo, no período de seca (geralmente de junho a setembro), para até 100 litros por segundo. “Estamos entregando um extraordinário sistema de captação, tratamento e distribuição de água. Esse novo sistema vai aumentar a oferta de água e garantir o produto à população por mais de 20 anos”, ponderou o secretário de Estado das Cidades, Wilson Santos.

Na solenidade, o titular da Secid agradeceu o empenho do governador Pedro Taques para a conclusão da obra, bem como o apoio do Governo Federal, da Funasa e da empresa que tocou os serviços. "Talvez não se tenha noção, mas esse investimento financeiro, de R$ 17 milhões, é o maior já feito na história da zona urbana de Chapada dos Guimarães, por isso sua importância", destacou Santos.

A prefeita da cidade, Thelma de Oliveira, ressaltou que a inauguração da obra, que põe fim ao problema da falta de água em Chapada, é fruto do compromisso do Governo do Estado com o município. "Além dessa inauguração do sistema de abastecimento de água, que estamos fazendo hoje, também tem a estrada da Água Fria, a entrada da nossa cidade que foi feita a recuperação e pavimentação, a obra de acesso a Chapada, no trevo da Guia que ficará maravilhosa e a ciclofaixa. Então tudo isso, o governador tem feito e tem nos apoiado", elencou a chefe do executivo municipal.

Segundo a prefeita, há anos a falta de água espanta turistas e investidores da localidade, e agora, a realidade será diferente. Além de ser uma questão de saúde pública, o acesso a água também é sinônimo de desenvolvimento, por isso é a maior e mais importante obra urbana da história do nosso município", disse ela, frisando que a obra concluída significa a concretização de um sonho antigo. Thelma de Oliveira foi quem apresentou a emenda ao Orçamento Geral da União (OGU) para ampliação do Sistema de Abastecimento de Água de Chapada, no período em que era deputada federal, em 2010.

O superintendente da Funasa, Francisco Holanildo, por sua vez, ressaltou que a conclusão da obra de ampliação do Sistema de Abastecimento de Água de Chapada põe fim a uma luta iniciada em 2013, que tinha por objetivo resolver, por completo, a questão da escassez de água na cidade, considerada um importante polo turístico e de eventos culturais.

Segundo ele, o grande problema do município sempre foi o abastecimento, mesmo a localidade sendo cercada de nascentes. Encontrar um manancial com capacidade de suprir a demanda local, respeitando o meio ambiente e a sustentabilidade da região, acabou sendo um desafio, complementa ele. “É com grande satisfação que estamos entregando essa obra juntamente com o Governo do Estado”, disse Holanildo.

A obra

Antes do término da obra, Chapada dos Guimarães tinha capacidade de reservação de 4 milhões e litros de água, sendo dois milhões armazenados dentro da ETA e outros dois no reservatório Bom Clima, também pertencente à prefeitura. Essa água distribuída era captada em três fontes. Entre elas, os córregos Buracão (entrada da Chapada), Quineira (centro da cidade) e o Monjolo (ao lado do bairro Sol Nascente).

Atualmente, o sistema de fornecimento de água na cidade tem capacidade de processar até 50 litros do produto por segundo. Porém, na época da seca o processamento máximo da Estação de Tratamento cai, baixando para 30 litros por segundo. Com a ampliação da estrutura, o volume de água tratada processado poderá atingir até 100 litros por segundo, triplicando a capacidade de distribuição do líquido na época de estiagem.

Para manter a estrutura funcionando, córrego Cachoeira Rica passará a ser um dos principais fornecedores de água potável da localidade, bem como seu afluente o córrego Vassoral, mananciais estes com maior potencial de abastecimento.

Entre as estruturas que compõem a obra estão a Barragem de Captação Rio Peba, localizada a 11,5 km do Centro de Chapada dos Guimarães; a Estação Intermediária (booster), a 7,5 km da cidade; e ainda a expansão da Estação de Tratamento de Água (ETA), instalada dentro do complexo do Sistema Autônomo de Água e Esgoto de Chapada, na área urbana do município.

O sistema de fornecimento do produto adotado é o tradicional composto pelas etapas de chegada da água, com a regulagem do PH do líquido, passagem pelo floculador (tratamento), decantador e filtros, que fazem o processo de cloração do líquido. Na segunda fase, a água é enviada aos reservatórios e posteriormente para rede de distribuição.

A cidade da Chapada dos Guimarães conta hoje com mais de 18 mil habitantes, divididos em 20 bairros. Conforme estimativa de entidades do setor turístico, há pelo menos 3,5 mil casas de veraneio no município, o que aumenta ainda mais o consumo de água.