Pular para o conteúdo
Voltar

Obra de Ampliação do Sistema de Abastecimento é entregue ao município

Termo de Cessão de Uso do complexo foi assinado na Secid; expansão contou com investimento de R$ 17 mi e triplicou capacidade de fornecimento do produto na cidade
Ivana Maranhão | Secid-MT

Assessoria da Secid-MT
A | A

A obra de ampliação do Sistema de Abastecimento de Água de Chapada dos Guimarães (situada a 65 km de Cuiabá) já está oficialmente sob responsabilidade do município. A entrega ocorreu na noite desta quinta-feira (25.01) durante assinatura do Termo de Cessão de Uso, ocorrida na sede da Secretaria de Estado das Cidades (Secid-MT). Agora, o complexo fica sob a gestão da Prefeitura Municipal da cidade e do Sistema Autônomo de Água e Esgoto de Chapada (SAAE). Assinaram o documento, o secretário das Cidades, Wilson Santos, a prefeita de Chapada, Thelma de Oliveira, o diretor do SAAE, Luciano Augusto, e o secretário Adjunto de Turismo do Estado, Luiz Carlos Nigro. Também estavam presentes no ato a equipe técnica da secretaria e do município.

A expansão do novo sistema contou com investimento de R$ 17 milhões e recebeu recursos de emenda parlamentar, Governo do Estado e Fundação Nacional de Saúde (Funasa). A construção ficou à cargo da construtora Nhambiquaras.

Com a obra, a capacidade de fornecimento da Estação de Tratamento, instalada no atual Sistema Autônomo de Água e Esgoto de Chapada, passou de 50 litros de água por segundo, para 100 litros por segundo. Se considerado os meses de estiagem, quando o cai o nível de captação da água nos córregos, o processamento do líquido saltará de 30 litros por segundo para até 100 litros por segundo, colocando fim ao déficit de mais de 40% existente hoje na localidade.

Durante a entrega, o secretário das Cidades, Wilson Santos, leu o termo de Cessão de Uso do novo Sistema de Abastecimento de Água e deixou claro a responsabilidade dos envolvidos do processo. “O Cessionário (no caso a prefeitura e o SAAE) será responsável pela operação de todo o sistema que está sendo entregue, bem como por sua limpeza, manutenção, guarda e conservação. Além disso, arcará com o custo energético necessário ao funcionamento do conjunto de motor e bombas instalados na captação, estação intermediária e ETA (partes integrantes do novo sistema)”, citou.

A prefeita Thelma e o diretor do SAAE, Luciano Augusto, concordaram com as cláusulas, porém solicitaram apoio do Governo do estado para bancar os custos de energia elétrica do complexo, citando que atualmente vários órgãos públicos têm isenção da tarifa o que torna a despesa onerosa ao município. “Vamos saltar de uma conta de energia de R$ 90 mil para até R$ 174 mil. Precisamos abrir um processo de discussão para que o Estado nos auxilie no pagamento, ao menos no primeiro momento”, destacou o diretor do SAAE, sendo referendado pela prefeita.

O secretário Wilson Santos se comprometeu a intermediar o pedido junto ao governador Pedro Taques, mas alertou: “posso dialogar para que o Governo entre com essa contrapartida, porém a prefeitura precisa se comprometer a melhorar a arrecadação com as contas de água e ter uma gestão eficiente do sistema de abastecimento”, ponderou ele de forma enfática.

Conforme o Termo de Uso, os “cessionários” ficam responsáveis ainda em comunicar ao governo (cedente) quando houver necessidade de consertos do sistema referentes a má-execução dos serviços construtivos de engenharia. Durante a assinatura, a Secid repassou também ao município toda a descrição técnica da obra, seu orçamento, projetos elétrico e estrutural, licença ambiental, entre outros documentos.

Expansão

Antes do término da obra, Chapada dos Guimarães tinha capacidade de reservação de 4 milhões e litros de água, sendo dois milhões armazenados dentro da ETA e outros dois no reservatório Bom Clima, também pertencente à prefeitura. A água distribuída era captada em três fontes. Entre elas, os córregos Buracão (entrada da Chapada), Quineira (centro da cidade) e o Monjolo (ao lado do bairro Sol Nascente).

Agora, para manter a estrutura ampliada funcionando, córrego Cachoeira Rica passará a ser um dos principais fornecedores de água potável da localidade, bem como seu afluente o córrego Vassoral, mananciais estes com maior potencial de abastecimento.

Entre as estruturas que compõem a obra estão a Barragem de Captação Rio Peba, localizada a 11,5 km do Centro de Chapada dos Guimarães; a Estação Intermediária (booster), a 7,5 km da cidade; e ainda a expansão da Estação de Tratamento de Água (ETA), instalada dentro do complexo do Sistema Autônomo de Água e Esgoto de Chapada, na área urbana do município. “Esse investimento é o maior já feito na história da zona urbana de Chapada dos Guimarães, por isso sua importância", destacou Santos, durante inauguração ocorrida neste mês.

A cidade da Chapada dos Guimarães conta hoje com 18 mil habitantes, divididos em 20 bairros. Conforme estimativa de entidades do setor turístico, há pelo menos 3,5 mil casas de veraneio no município, o que aumenta ainda mais o consumo de água.